sábado, 20 de setembro de 2008

PARADE... OU NÃO PARADE


Ao ouvir uma reportagem da RTP, sobre a “GoatParade”, ou seja “CabraParada” que estava a decorrer em Vila Nova de Poiares, sim em Portugal…”… no interior de Portugal”, segundo uma interveniente na reportagem, fez-me questionar o fenómeno “Parade”. Tudo começou há uma década com o conceito de “CowParade” e actualmente é um fenómeno mundial.
A “VacaParada” teve as suas origens na cidade suíça de Zurique, quando Walter Knapp teve uma ideia que acabaria por arrastar milhões de pessoas dos cinco continentes: uma exposição de arte pública formada por vacas de tamanho natural nos distritos comerciais de Zurique. O seu filho, o escultor Pascal Knapp, ajudou a modelar três protótipos diferentes de vacas, inspirando-se na típica vaca castanha suíça. Quase 800 vacas de fibra de vidro foram dispostas pelas ruas da cidade, atraindo centenas de milhares de visitantes, incluindo Peter Hanig, o proprietário de um negócio de calçado de Chicago, que ficou fascinado pela ideia.
Foi Hanig, junto com o advogado Jerry Elbaum, quem converteu a CowParade num fenómeno. Chicago recebeu o desembarco das vacas nos Estados Unidos. O evento foi um êxito. Nova Iorque não quis fazer por menos e celebrou a entrada no novo milénio enchendo os seus lugares más emblemáticos de bovinos de fibra de vidro em tamanho natural. O presidente da Câmara, Rudolf Giuliani, prestou todas as suas energias e todo o seu apoio ao projecto. A Chicago seguiram outras cidades americanas e, do outro lado do oceano, Londres. Depois de ter passado por Nova Iorque, as grandes urbes do mundo juntaram-se desde então ao projecto: Tóquio, São Paulo, Buenos Aires, Paris, Moscovo, Barcelona, entre outras tantas cidades, a CowParade chegou às ruas de Lisboa em 2006.
Até finais de Janeiro de 2006, os portugueses foram convidados a enviar as suas propostas de pintura, decoração ou outra intervenção artística nas esculturas bovinas para o website oficial do evento http://cowparadelisboa.sapo.pt. Às empresas e marcas também foi dada a oportunidade de “patrocinarem uma vaca”, existindo para o efeito pacotes adaptados à área de negócio e com diferentes níveis de intervenção.
Do total das propostas recebidas, a CowParade Internacional, com a colaboração da Sociedade Nacional de Belas Artes, seleccionaram aquelas que serão exibidas nas ruas e espaços públicos de Lisboa, entre os meses de Junho e Outubro de 2006.
No final da exposição, as vacas foram vendidas em leilão público revertendo o valor angariado para a MecenatoNet, que beneficiou oito instituições de solidariedade social portuguesas, nomeadamente, Espaço T, ACAPO, AMI, APAV, Chapitô, Cruz Vermelha Portuguesa, Escuteiros de Portugal e Liga dos Bombeiros Portugueses.
A CowParade converteu-se na maior exposição de arte pública do mundo, vista por mais de 200 milhões de pessoas, verdadeiras obras de arte contemporânea. Terminada uma exposição, realiza-se o leilão de vacas, até ao momento angariou-se mais de 13 milhões de euros para fins de beneficência, e mais de 10.000 artistas desenharam e pintaram 5.000 vacas em 50 cidades dos cinco continentes. A CowParade foi considerada pela revista internacional “Advertising Age” como uma das 10 melhores ideias de marketing em 2001.

1 comentário:

Ti Paulo disse...

Boa noite amigo,
não é já este sábado que vamos a espanha?
nota: telm s/ bateria; até eu ando s/ bateria...
vamos lá ver se eu aguento a pedalada no sábado...
amanhã telefono-te à hora de almoço, OK?